Theresa Soares - Индекс потомака

Из пројекта Родовид

Особа:70043
Generation of a large tree takes a lot of resources of our web server. Anonymous users can only see 7 generations of ancestors and 7 - of descendants on the full tree to decrease server loading by search engines. If you wish to see a full tree without registration, add text ?showfulltree=yes directly to the end of URL of this page. Please, don't use direct link to a full tree anywhere else.
11/1 <?> Theresa Soares [Maia]

2

21/2 <1+?> Mem Fernandes de Bragança [Bragança]
Esta família teve princípio em Balthazar de Moraes de Antas, que de Portugal passou a S. Paulo onde casou com Brites Rodrigues Annes f.® de Joanne Annes Sobrinho, que de Portugal tinha vindo a esta capitania trazendo solteiras três filhas, que todas casaram com pessoas de conhecida nobreza.

Pedro Taques, de quem copiamos esta notícia sobre os Antas Moraes e que por sua vez copiou-a do título dos Braganções na livraria de José Freire Monte Arroio Mascarenhas em 1757, descreve a ascendência dos Antas Moraes como segue:

(...) 2.° D. Fernando Mendes de Bragança, rico homem, chamado o Velho; sucedeu a seu pai no senhorio de Bragança, e mais terras, que eram muitas na província de Trás-os-Montes, entre Bragança e Miranda. Diz o livro antigo, que esteve na torre do Tombo, e mostra o cronista Brandão, P. 3.® liv. 10.ð cap. 4.ð da Monarquia Lusitana, e liv. 8.ð cap. 27, que fora casado com uma filha de el-rei D. Affonso VI de Leão, de quem tivera:

3.° D. Mendo Fernandes de Bragança que sucedeu na casa de seu pai e casou com D. Sancha Viegas de Bayão f.® de D. Egas Gozende, senhor de Bayão, e de sua mulher D. Gotina Nunes. Teve:

(...)

3

31/3 <2> Fernão Mendes, Senhor de Bragança [Bragança]
Esta família teve princípio em Balthazar de Moraes de Antas, que de Portugal passou a S. Paulo onde casou com Brites Rodrigues Annes f.® de Joanne Annes Sobrinho, que de Portugal tinha vindo a esta capitania trazendo solteiras três filhas, que todas casaram com pessoas de conhecida nobreza.

Pedro Taques, de quem copiamos esta notícia sobre os Antas Moraes e que por sua vez copiou-a do título dos Braganções na livraria de José Freire Monte Arroio Mascarenhas em 1757, descreve a ascendência dos Antas Moraes como segue:

(...) 3.° D. Mendo Fernandes de Bragança que sucedeu na casa de seu pai e casou com D. Sancha Viegas de Bayão f.® de D. Egas Gozende, senhor de Bayão, e de sua mulher D. Gotina Nunes. Teve:

4.° D. Fernandes Mendes, rico homem, senhor de Bragança e mais terras de seu pai; foi chamado o Braganção, e por outro nome o Bravo. Achou-se com el-rei D. Affonso Henriques em todas as guerras de seu tempo, e na batalha do campo de Ourique. Casou com D. Theresa Affonso, filha ilegítima do mesmo rei, que o conde D. Pedro diz, no título 38, fls. 204, a tirara ao conde D. Sancho Nunes de Barbosa, de quem era mulher, para lhe aplacar a ira de se rirem dele quando lhe caiu a nata pelas barbas comendo com el-rei à mesa em Coimbra; o que Brandão tem por fabuloso, e convém em que foi casado com D. Sancha Henriques, irmã do mesmo rei D. Affonso Henriques, o que prova com a escritura que alega no liv. 8.ð, cap. 27, part. 3.®. O mesmo conde D. Pedro e o cronista Brandão afirmam que não teve dela filhos, e que, por haver feito doação da cidade de Bragança, ficara, por sua morte, incorporada na coroa; porém João Baptista Lavanha, alegando o livro antigo, diz que fora casado com outra mulher, que Brandão no lugar já citado diz fora D. Theresa Soares, f.® de D. Soeiro Mendes o Bom da Maia, e que dele tivera a seu filho que segue:

(...)

4

41/4 <3+?> Pero Fernandes, o Braganção [Bragança]
Esta família teve princípio em Balthazar de Moraes de Antas, que de Portugal passou a S. Paulo onde casou com Brites Rodrigues Annes f.® de Joanne Annes Sobrinho, que de Portugal tinha vindo a esta capitania trazendo solteiras três filhas, que todas casaram com pessoas de conhecida nobreza.

Pedro Taques, de quem copiamos esta notícia sobre os Antas Moraes e que por sua vez copiou-a do título dos Braganções na livraria de José Freire Monte Arroio Mascarenhas em 1757, descreve a ascendência dos Antas Moraes como segue:

(...) 4.° D. Fernandes Mendes, rico homem, senhor de Bragança e mais terras de seu pai; foi chamado o Braganção, e por outro nome o Bravo. Achou-se com el-rei D. Affonso Henriques em todas as guerras de seu tempo, e na batalha do campo de Ourique. Casou com D. Theresa Affonso, filha ilegítima do mesmo rei, que o conde D. Pedro diz, no título 38, fls. 204, a tirara ao conde D. Sancho Nunes de Barbosa, de quem era mulher, para lhe aplacar a ira de se rirem dele quando lhe caiu a nata pelas barbas comendo com el-rei à mesa em Coimbra; o que Brandão tem por fabuloso, e convém em que foi casado com D. Sancha Henriques, irmã do mesmo rei D. Affonso Henriques, o que prova com a escritura que alega no liv. 8.ð, cap. 27, part. 3.®. O mesmo conde D. Pedro e o cronista Brandão afirmam que não teve dela filhos, e que, por haver feito doação da cidade de Bragança, ficara, por sua morte, incorporada na coroa; porém João Baptista Lavanha, alegando o livro antigo, diz que fora casado com outra mulher, que Brandão no lugar já citado diz fora D. Theresa Soares, f.® de D. Soeiro Mendes o Bom da Maia, e que dele tivera a seu filho que segue:

5.° D. Pedro Fernandes o Braganção, que o cronista Brandão chama: Pedro Fernandes de La Hadra, foi alcaide-mor de Bragança no ano de 1193, em que el-rei de Leão a teve cercada, e o rei D. Sancho I a foi socorrer, como consta da escritura original do mosteiro de S. Salvador de Castro Avellães, e a refere José Cardoso Borges nas noticias de Bragança. Porque ocupava algumas fazendas pertencentes à Sé de Braga, o arcebispo D. João de Peculiar passou carta de excomunhão contra ele, como consta do livro do cabido da Sé de Braga à fls. 118; e do livro das inquirições que mandou fazer das honras do reino o sr. rei D. Affonso III, consta que este D. Pedro Fernandes o Braganção deu à ordem do hospital a vila e igreja de S. Pedro Velho, e a vila de Val-maior, que foram de seus avós. O livro antigo diz que casou com D. Froile Sanches, filha do conde D. Sancho Nunes de Barbosa e de sua mulher D. Theresa Affonso, filha de el-rei D. Affonso Henriques. E teve:

(...)

5

51/5 <4+1> Vasco Peres, o Beirão [?]
Шаблон:Doubtful

Esta família teve princípio em Balthazar de Moraes de Antas, que de Portugal passou a S. Paulo onde casou com Brites Rodrigues Annes f.® de Joanne Annes Sobrinho, que de Portugal tinha vindo a esta capitania trazendo solteiras três filhas, que todas casaram com pessoas de conhecida nobreza.

Pedro Taques, de quem copiamos esta notícia sobre os Antas Moraes e que por sua vez copiou-a do título dos Braganções na livraria de José Freire Monte Arroio Mascarenhas em 1757, descreve a ascendência dos Antas Moraes como segue:

(...) 5.° D. Pedro Fernandes o Braganção, que o cronista Brandão chama: Pedro Fernandes de La Hadra, foi alcaide-mor de Bragança no ano de 1193, em que el-rei de Leão a teve cercada, e o rei D. Sancho I a foi socorrer, como consta da escritura original do mosteiro de S. Salvador de Castro Avellães, e a refere José Cardoso Borges nas noticias de Bragança.

Porque ocupava algumas fazendas pertencentes à Sé de Braga, o arcebispo D. João de Peculiar passou carta de excomunhão contra ele, como consta do livro do cabido da Sé de Braga à fls. 118; e do livro das inquirições que mandou fazer das honras do reino o sr. rei D. Affonso III, consta que este D. Pedro Fernandes o Braganção deu à ordem do hospital a vila e igreja de S. Pedro Velho, e a vila de Val-maior, que foram de seus avós. O livro antigo diz que casou com D. Froile Sanches, filha do conde D. Sancho Nunes de Barbosa e de sua mulher D. Theresa Affonso, filha de el-rei D. Affonso Henriques. E teve:

6.° D. Vasco Peres o Beirão, casou com D. Urraca Esteves, filha de Estevão Annes, senhor do Passo de Antas, no concelho de Coura; e ficou herdando o mesmo Passo. E teve, como afirma D. Pedro e o livro antigo, em terceiro filho a:

(...)

6

61/6 <5+2> João Vasquez d'Antas [Antas]
Esta família teve princípio em Balthazar de Moraes de Antas, que de Portugal passou a S. Paulo onde casou com Brites Rodrigues Annes f.® de Joanne Annes Sobrinho, que de Portugal tinha vindo a esta capitania trazendo solteiras três filhas, que todas casaram com pessoas de conhecida nobreza.

Pedro Taques, de quem copiamos esta notícia sobre os Antas Moraes e que por sua vez copiou-a do título dos Braganções na livraria de José Freire Monte Arroio Mascarenhas em 1757, descreve a ascendência dos Antas Moraes como segue:

(...) 6.° D. Vasco Peres o Beirão, casou com D. Urraca Esteves, filha de Estevão Annes, senhor do Passo de Antas, no concelho de Coura; e ficou herdando o mesmo Passo. E teve, como afirma D. Pedro e o livro antigo, em terceiro filho a:

7.° João Vasques de Antas, foi senhor da vila de Vimioso. Viveu pelos anos de 1242. Não se tem notícia de seu casamento, mas sabe-se que foi seu filho:

(...)
72/6 <5+2> Estevão Vasques de Antas [Antas]

7

81/7 <6> Estevão Annes de Bragança [Annes]
Рођење:
Esta família teve princípio em Balthazar de Moraes de Antas, que de Portugal passou a S. Paulo onde casou com Brites Rodrigues Annes f.® de Joanne Annes Sobrinho, que de Portugal tinha vindo a esta capitania trazendo solteiras três filhas, que todas casaram com pessoas de conhecida nobreza.

Pedro Taques, de quem copiamos esta notícia sobre os Antas Moraes e que por sua vez copiou-a do título dos Braganções na livraria de José Freire Monte Arroio Mascarenhas em 1757, descreve a ascendência dos Antas Moraes como segue:

(...) 7.° João Vasques de Antas, foi senhor da vila de Vimioso. Viveu pelos anos de 1242. Não se tem notícia de seu casamento, mas sabe-se que foi seu filho:

8.° Estevão Annes de Bragança; faz dele memória o conde D. Pedro no Tit. 34 2.ð do seu Nobiliário manuscrito. A sua filiação se prova de um documento que se conserva na câmara de vila de Vimioso, divisado com o n. 16, que é uma demanda que teve seu neto direito João Mendes de Moraes com a câmara de Vimioso, que lhe diz impedir a tapagem de uma herdade que ele tinha junto ao rio Fervença por cima da ponte das Ferrarias; e provou nestes autos que era filho de Mendo Esteves, neto de Estevão Annes de Bragança e bisneto de João Vasques de Antas, terceiro neto de Vasco Peres o Beirão, de cujos avós foram aquelas terras, etc. Teve este Estevão Annes o seu filho segundo:

(...)
92/7 <7+?> Pedro Esteves de Antas [Antas]

8

101/8 <8> Mendo Esteves d'Antas [Antas]
Рођење:
Esta família teve princípio em Balthazar de Moraes de Antas, que de Portugal passou a S. Paulo onde casou com Brites Rodrigues Annes f.® de Joanne Annes Sobrinho, que de Portugal tinha vindo a esta capitania trazendo solteiras três filhas, que todas casaram com pessoas de conhecida nobreza.

Pedro Taques, de quem copiamos esta notícia sobre os Antas Moraes e que por sua vez copiou-a do título dos Braganções na livraria de José Freire Monte Arroio Mascarenhas em 1757, descreve a ascendência dos Antas Moraes como segue:

(...) 8.° Estevão Annes de Bragança; faz dele memória o conde D. Pedro no Tit. 34 2.ð do seu Nobiliário manuscrito. A sua filiação se prova de um documento que se conserva na câmara de vila de Vimioso, divisado com o n. 16, que é uma demanda que teve seu neto direito João Mendes de Moraes com a câmara de Vimioso, que lhe diz impedir a tapagem de uma herdade que ele tinha junto ao rio Fervença por cima da ponte das Ferrarias; e provou nestes autos que era filho de Mendo Esteves, neto de Estevão Annes de Bragança e bisneto de João Vasques de Antas, terceiro neto de Vasco Peres o Beirão, de cujos avós foram aquelas terras, etc. Teve este Estevão Annes o seu filho segundo:

9.° Mendo Esteves de Antas, que casou na casa dos Moraes com Ignez Rodrigues de Moraes, neta de Ruy Martins de Moraes. E teve a:

(...)
112/8 <9+?> Vasco Pires de Antas [Antas]
Джерельна довідка за населеним пунктом